5814 empresas cadastradas na região da Rua 25 de Março e adjacências
São Paulo, 25 de maio de 2017 - 
Vitrine 25 de Março - O guia oficial virtual da Rua 25 de Março e Adjacências
FATURE SP Federação das Entidades do Turismo de Compras e Negócios do Estado de São Paulo
Abrasivos
Acessórios
Adesivos
Agências de Turismo
Alarmes e Câmeras
Alfaiates / Costureiras
Alimentos
Antenas
Antiquários
Arames e Molas
Armarinhos
Artesanato
Artigos de Couro
Artigos para Festas
Artigos para Presentes
Artigos Religiosos
Assistência Técnica
Audio e Vídeo
Automação
Aviamentos
Bancos e Câmbio
Bebidas
Bijouterias e Jóias
Bolsas, Malas e Mochilas
Bombas / Hidráulica
Bonés
Bordado, Silk e Transfer
Botões / Zíperes
Brindes
Brinquedos
Cabelos e Perucas
Cabos
Calçados
Calhas / Coifas
Cama, Mesa e Banho
Cameras Digitais
Camisaria
Carnaval
Cartuchos
Casa e Decoração
Casamentos
Câmbio
CDs e DVDs
Celulares
Chaveiros
Cintos e acessórios
Climatizadores
Componentes Eletrônicos
Confecções
Controle Remoto
Cortinas e Tapetes
Couro e acessórios
Dados de Letras
Eletro-eletrônicos
Eletrônica e Acessórios
Elétrica
Embalagens
Enxovais
Esoterismo
Esporte / Fitness
Estacionamentos
Expositores e Manequins
Fantasias
Farmácias
Ferragens
Ferramentas
Fontes / Transformadores
Fraldas e Cia.
Games
Gráficas / Gravações
Guarda-chuvas e Cia.
Higiene e Beleza
Hotéis
Iluminação
Imóveis
Informática
Instalações Comerciais
Instrumentos Musicais
Lembrancinhas
Livrarias
Lojas de 1,99
Madeiras
Materiais Elétricos
Materiais p/ Construção
Material Escolar
Máquinas de Costura
Medição e Automatização
Mercado Municipal
Miniaturas
Moda Evangélica
Moda Feminina
Moda Gestante
Moda Infantil
Moda Internacional
Moda Íntima
Moda Jeans
Moda Jovem
Moda Masculina
Moda Praia
Moda Tamanhos Grandes
Moda Tricot
Móveis
Noivas
Notebooks e Palms
Óticas
Ônibus / Excursões
Papelarias
Peças e Montagem
Perfumes e Cosméticos
Petshop
Portáteis
Puericultura
Redes
Restaurantes
Sacarias
Segurança
Serviços
Sexshop
Shoppings e Galerias
Som Automotivo
Tecidos
Telefonia
Transfer e Cia
Transportadoras
Uniformes
Utensílios Domésticos
Ventiladores e Exaustores
Viagens e Turismo
Zona Cerealista
Economia

06/10/2014 16:46hs

Bancários fazem assembleia para decidir fim da greve ou manutenção


 Na Sexta-Feira, trabalhadores receberam proposta dos bancos.

Contraf-CUT disse que recomendaria à categoria o fim da greve.

Os trabalhadores dos bancos públicos e privados vão decidir em assembleia pelo fim ou não da paralisação nesta Segunda-Feira (6), segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). Em todo o Brasil, 134 sindicatos representam a categoria e irão levar a proposta da Fenaban para votação dos bancários.

Após receber uma nova proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) na Sexta-Feira (3), a Contraf-CUT informou, na madrugada do dia seguinte, que o Comando Nacional dos Bancários iria recomendar à categoria o fim da greve, que começou no dia 30 de Setembro.

Na 9ª rodada de negociação, a Fenaban propôs elevar o índice de reajuste de 7,35% para 8,5% (aumento real de 2,02%) nos salários e demais verbas salariais, de 8% para 9% (2,49% acima da inflação) nos pisos e 12,2% no vale-refeição.

Em relação aos dias parados, a entidade dos bancos propôs compensação de uma hora por dia no período de 15 de Outubro a 31 de Outubro, para quem trabalha 6 horas, e uma hora no período entre 15 de Outubro e 7 de Novembro, para quem trabalha 8 horas.

"Vemos essa proposta como positiva. É um aumento maior do que no ano passado e também é muito importante a criação de mecanismos de combate à pressão por venda de produtos. Foi um avanço. Nos últimos anos nos tentaram vencer pelo cansaço, tanto que a greve em 2013 durou 26 dias. Parece que eles aprenderam com os erros e resolveram de fato apresentar uma proposta melhor", afirmou na Sexta-Feira Carlos Cordeiro, presidente da Contraf, por telefone.

Paralisação

A greve dos bancários, que entrou nesta Sexta-Feira (3) em seu quarto dia, já fechou 10.355 agências pelo país, segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). A paralisação, segundo a entidade, é por tempo indeterminado. Sindicatos de todos os estados confirmaram adesão à greve, além do Distrito Federal.

A greve foi iniciada apenas em agências bancárias, mantendo o funcionamento de caixas eletrônicos, serviços de teleatendimento e centros administrativos.

No entanto, segundo o sindicato, na Quarta-Feira, bancários de São Paulo e do Rio de Janeiro paralisaram alguns callcenters, telebancos, centros administrativos, serviço de apoio ao cliente e central de atendimento em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Notificações do Procon

O Procon do Rio Grande do Norte notificou o Sindicato dos Bancários do estado para garantir efetivo mínimo de 30% de funcionários trabalhando durante o período de greve. A notificação  orienta que caixas eletrônicos permaneçam disponíveis.

Houve também notificação no Tocantins, onde a paralisação teve adesão de 60% dos funcionários de acordo com o Sindicato dos Bancários do Tocantins (Sintec-TO). O Procon-TO notificou o Sintec que mantenha pelo menos 30% dos funcionários trabalhando e os caixas eletrônicos disponíveis.

Reivindicações dos bancários

Os trabalhadores que decidiram pela greve pedem reajuste salarial de 12,5%, além de piso salarial de R$ 2.979,25, PLR de três salários mais parcela adicional de R$ 6.247 e 14º salário. A categoria também pede aumento nos valores de benefícios como vale-refeição, auxílio-creche, gratificação de caixa, entre outros.

Além do aumento de salário e benefícios, os bancários também pedem melhores condições de trabalho com o fim de metas consideradas abusivas, combate ao assédio moral, igualdade de oportunidades, entre outras demandas.

No Sábado (27), o Comando Nacional dos Bancários confirmou o indicativo de greve mesmo após uma nova proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). As instituições financeiras haviam elevado o reajuste de 7% a 7,35% para os salários, e o aumento no piso da categoria de 7,5% para 8%. No entanto, os novos índices foram considerados insuficientes pelos bancários em reunião realizada em São Paulo.

Em 2013, os trabalhadores do setor promoveram uma greve de 23 dias, que foi encerrada após os bancos oferecerem reajuste de 8%, com ganho real de 1,82%. A duração da greve na época fez a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) pedir um acordo para o fim da paralisação, temendo perdas de até 30% nas vendas do varejo do início de Outubro.

Em nota, a Fenaban "reafirma sua confiança na manutenção das negociações para um desfecho da convenção coletiva 2014/2015". A entidade ainda "ressalta que o consumidor dispõe de vários canais para a realização de transações financeiras, tais como internet, o banco por telefone, o aplicativo do banco no celular. Há também os caixas eletrônicos e rede 24 horas, que ficam disponíveis em supermercados, aeroportos, shoppings, lojas comerciais e centros comerciais, além dos correspondentes, que estão espalhados por todo o Brasil".

Fonte: www.g1.com.br

Leia mais
(10/11/2014 11:19hs)

Hotel fica até 5 vezes mais caro no réveillon; veja onde aumento é menor

(07/11/2014 14:09hs)

Petrobras anuncia alta da gasolina e do diesel em venda nas refinarias

(06/11/2014 14:35hs)

'Não significa nada', diz ministério sobre risco de 5% de faltar energia

(03/11/2014 13:19hs)

Venda de imóveis novos em SP sobe 55% em Setembro, diz Secovi

(30/10/2014 14:10hs)

Inflação do aluguel tem a menor alta em 12 meses desde 2010, diz FGV

(28/10/2014 14:23hs)

Com seca em SP, preço da água engarrafada tem aumento de até 20%

(24/10/2014 11:53hs)

Confiança do consumidor atinge menor nível desde Abril de 2009

(14/08/2014 10:59hs)

Vendas do comércio caem 0,7% em Junho, aponta IBGE

 
Rua 25 de Março Armarinho Bijouterias Brinquedos
 Página gerada em 0.12543 segundos© 2006 Vitrine 25 de Março - Todos os Direitos Reservados