5815 empresas cadastradas na região da Rua 25 de Março e adjacências
São Paulo, 17 de julho de 2018 - 
Vitrine 25 de Março - O guia oficial virtual da Rua 25 de Março e Adjacências
FATURE SP Federação das Entidades do Turismo de Compras e Negócios do Estado de São Paulo
Abrasivos
Acessórios
Adesivos
Agências de Turismo
Alarmes e Câmeras
Alfaiates / Costureiras
Alimentos
Antenas
Antiquários
Arames e Molas
Armarinhos
Artesanato
Artigos de Couro
Artigos para Festas
Artigos para Presentes
Artigos Religiosos
Assistência Técnica
Audio e Vídeo
Automação
Aviamentos
Bancos e Câmbio
Bebidas
Bijouterias e Jóias
Bolsas, Malas e Mochilas
Bombas / Hidráulica
Bonés
Bordado, Silk e Transfer
Botões / Zíperes
Brindes
Brinquedos
Cabelos e Perucas
Cabos
Calçados
Calhas / Coifas
Cama, Mesa e Banho
Cameras Digitais
Camisaria
Carnaval
Cartuchos
Casa e Decoração
Casamentos
Câmbio
CDs e DVDs
Celulares
Chaveiros
Cintos e acessórios
Climatizadores
Componentes Eletrônicos
Confecções
Controle Remoto
Cortinas e Tapetes
Couro e acessórios
Dados de Letras
Eletro-eletrônicos
Eletrônica e Acessórios
Elétrica
Embalagens
Enxovais
Esoterismo
Esporte / Fitness
Estacionamentos
Expositores e Manequins
Fantasias
Farmácias
Ferragens
Ferramentas
Fontes / Transformadores
Fraldas e Cia.
Games
Gráficas / Gravações
Guarda-chuvas e Cia.
Higiene e Beleza
Hotéis
Iluminação
Imóveis
Informática
Instalações Comerciais
Instrumentos Musicais
Lembrancinhas
Livrarias
Lojas de 1,99
Madeiras
Materiais Elétricos
Materiais p/ Construção
Material Escolar
Máquinas de Costura
Medição e Automatização
Mercado Municipal
Miniaturas
Moda Evangélica
Moda Feminina
Moda Gestante
Moda Infantil
Moda Internacional
Moda Íntima
Moda Jeans
Moda Jovem
Moda Masculina
Moda Praia
Moda Tamanhos Grandes
Moda Tricot
Móveis
Noivas
Notebooks e Palms
Óticas
Ônibus / Excursões
Papelarias
Peças e Montagem
Perfumes e Cosméticos
Petshop
Portáteis
Puericultura
Redes
Restaurantes
Sacarias
Segurança
Serviços
Sexshop
Shoppings e Galerias
Som Automotivo
Tecidos
Telefonia
Transfer e Cia
Transportadoras
Uniformes
Utensílios Domésticos
Ventiladores e Exaustores
Viagens e Turismo
Zona Cerealista
Emprego

10/10/2014 14:05hs

Emprego na indústria cai pelo quinto mês seguido, diz IBGE


 Número de trabalhadores recuou em praticamente todos os locais.

No ano, o índice acumula queda de 2,7%.

A indústria brasileira seguiu demitindo no mês de Agosto, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O emprego no setor caiu 0,4% na comparação com Julho, no quinto mês seguido de retração. No ano, o índice acumula queda de 2,7%.

Frente ao mesmo período do ano passado, o emprego nas indústrias brasileiras recuou 3,6%, a  35ª baixa seguida nesse tipo de comparação. Em 12 meses, o indicador acuma queda de 2,4%. O número de trabalhadores recuou em praticamente todos os locais pesquisados pelo IBGE, com destaque para São Paulo, onde a diminuição foi de 4,8%, pressionada pelas indústrias de meios de transporte (-7,3%).

Também foi registrada queda no Paraná (-5,2%), no Rio Grande do Sul (-4,7%), em Minas Gerais (-3,3%) e regiões Norte e Centro-Oeste (-2,2%). Só Pernambuco mostrou leve alta de 0,6%.

Na análise dos setores, a pesquisa aponta que o total do pessoal ocupado assalariado recuou em 14 dos 18 ramos pesquisados, com destaque para as pressões negativas vindas de meios de transporte (-7,5%), produtos de metal (-7,9%) e calçados e couro (-9,0%), entre outros. Na outra ponta, estão os impactos positivos nos setores de minerais não-metálicos (1,1%) e de produtos químicos (1,0%).

A produção da indústria nacional registrou alta de 0,7% em Agosto, na comparação com o mês anterior, segundo dados divulgados nesta Quinta-Feira (2) pelo IBGE.

Esse é o segundo avanço da produção, depois de registrar queda entre março e junho (segundo dados revisados). No mês anterior ao da pesquisa, Julho, o avanço também havia sido de 0,7%.

Salários

Em Agosto, o valor da folha de pagamento real dos trabalhadores da indústria avançou 0,5% na comparação com Julho, recuperando parte da perda de 5,1% acumulada nos dois últimos meses. Nesse mês, tanto a indústria de transformação (1,0%), como o setor extrativo (0,7%) apontaram taxas positivas.

Frente ao mesmo mês do ano anterior, os salários caíram 1,6%, com a maior influência partindo de São Paulo (-2,7%), pressionado pela queda no valor da folha de pagamento real em meios de transporte (-5,9%), produtos de metal (-10,1%), máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (-6,0%) e alimentos e bebidas (-3,2%). Na contramão, o principal impacto positivo partiu da Bahia (1,3%).

De Janeiro a Agosto, o índice acumula alta de 0,4%.

Horas pagas

Em Agosto de 2014, o número de horas pagas aos trabalhadores da indústria caiu 0,8% frente ao mês imediatamente anterior. O número de horas pagas recuou 4,5% na comparação com Agosto de 2013, a 15ª taxa negativa consecutiva neste tipo de confronto e a mais intensa desde Outubro de 2009 (-5,3%).
No índice acumulado nos oito meses de 2014, houve retração de 3,3%.

Fonte: www.g1.com.br

Leia mais